Jogo que transforma deputados em time de futebol ganha prêmio do governo federal

A ideia foi do Mário Mol, um desenvolvedor que trabalha comigo no Escritório de Prioridades Estratégicas. Ele juntou com o Buiú e com o Cadim e começou a executar. Eu entrei na roda logo em seguida.

A ideia era simples: uma versão do Cartola Futebol Clube com dados de deputados federais. Venho aqui fazer um teaser para vocês sobre o PEC – Politica Esporte Clube, uma gamificação dos processos políticos baseados nas atividades dos deputados da Câmara Federal com o objetivo de aumentar o interesse do cidadão pelas atividades parlamentares.

Antes mesmo da ideia estar no ar, vimos o anúncio da Secretaria-Geral da Presidência da República anunciar um concurso batizado “Desafio Participa.BR”, que tinha como objetivo construir um banco de ideias para aplicativos que materializem um espaço de participação social.

Nos inscrevemos, com quase nada pronto, mas mesmo assim fomos reconhecidos! Ganhamos o 1º lugar do prêmio. :)

O que isso significa? Bem, a equipe vai levar um Galaxy S4 de presente, entradas para o FISL 2014 e ainda terá no início do ano que vem uma reunião com gestores públicos do governo federal.

No último final de semana nos unimos (acompanhados do Gustavo Noronha, Metal e Pablo, do projeto Olho Neles) para um hackday e adiantar os trabalhos.

Todo o site do jogo é alimentado com dados abertos, publicados pela própria Câmara dos Deputados. A previsão é que o Política Esporte Clube seja lançado assim que os deputados voltarem ao trabalho e gerem atividades (afinal, o jogo se alimenta desse tipo de dado). Em fevereiro a gente volta a falar disso melhor :)

Abaixo compartilhamos o preview do que existia do site antes do prêmio. Depois do hackday muita coisa mudou (pra melhor!), mas sente o cheiro do negócio aí =)

Que venha 2014 :)

BH ganha pós-graduação sobre redes sociais da internet

A FUMEC vai inaugurar em 2014 a pós-graduação intitulada “Análise de redes sociais da internet“.

É com muita alegria e empolgação que venho contar essa novidade! Vou ter a honra de fazer parte do corpo docente ao lado de grandes nomes da área como Geane Alzamora, Cristina Cypriano, Adriano C Machado (do time de computação da UFMG, que foi meu sub-orientador informalmente no mestrado), Cláudia Chaves (que foi minha professora na graduação), Carlos Falci, Carlos Conti, dentre outros!

Veja mais sobre a proposta:

OBJETIVOS

Habilitar alunos provenientes de diversas áreas de conhecimento a entender e explorar os desafios e as potencialidades que as dinâmicas típicas das Redes Sociais da Internet trazem para a realização de suas atividades. Proporcionar a aquisição de um conhecimento tanto de caráter analítico-conceitual, quanto prático que concilia o aprofundamento teórico com a execução de atividades que colocam em prática os conteúdos aprendidos.

PÚBLICO-ALVO

Profissionais com graduação superior na área de Comunicação (Assessoria de imprensa e Publicidade), da Psicologia (Recursos Humanos), Gestores de organizações públicas e privadas, Coordenadores de campanha eleitoral, Educadores.

As inscrições para o curso já estão abertas e podem ser feitas clicando aqui.

Fica a dica =)

2º Encontro Nacional de Dados Abertos

Não é de hoje que me empolgo com esse papo de dados abertos. Por aqui no blog já fiz várias publicações que envolvem o tema.

Eis que no dia do meu aniversário terei a alegria de compartilhar uma experiência enriquecedora que tive. Durante o 2º Encontro Nacional de Dados Abertos participarei de uma mesa para falar sobre a experiência da criação do 1º Hackathon do Governo de Minas.

O evento (ENDA) é aberto ao público, e fica aqui o convite para quem estiver em Brasília no próximo dia 21. Abaixo o texto de divulgação do Encontro :)

Para aprofundar a discussão sobre dados abertos governamentais e atrair novos públicos, o Ministério do Planejamento (MP), em parceria com o Escritório Brasileiro do Consórcio World Wide Web (W3C Brasil), realiza o II Encontro Nacional de Dados Abertos. O evento será realizado entre os dias 21 e 22 de novembro, na Escola de Administração Fazendária (ESAF), em Brasília.

Publicados neste formato, os dados estão disponíveis para qualquer pessoa utilizar e republicar da maneira que achar melhor. A proposta aproxima o governo do cidadão e permite que sejam criados melhores serviços em benefício da sociedade a partir desses dados. A política tem ganhado relevância internacional não só sob a ótica da inovação tecnológica, mas também como uma estratégia de modernização da gestão pública.

A Política Brasileira de Dados Abertos sempre levou o conceito da participação social em seus princípios. Desde o começo, as reuniões de planejamento e construção doPortal Brasileiro de Dados Abertos (dados.gov.br) foram abertas para qualquer cidadão interessado. O dados.gov.br já está publicado há mais de um ano e neste momento, o desejo é ampliar o horizonte da política.

O encontro conta com o apoio da Secretaria Nacional de Articulação Social da Presidência da República, do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.Br), representado peloNúcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.Br), da Associação Software Livre, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev).

Participe, dê sua contribuição, ajude a mudar a cultura de divulgação de informações governamentais e transforme esta ação numa política de Estado.

 

Veja a programação e se inscreva aqui

Novas mídias e métodos de identificação de tendências no jornalismo

Está chegando a hora!

Palestra sobre tendências no jornalismo em BH

Palestra sobre tendências no jornalismo em BH

Inscrições – gratuitas e limitadas: www.cominteligencia.com.br/palestras

Jornalistas experientes em desenvolvimento e produção de conteúdos para o ambiente da internet, Raquel Camargo (vulgo ‘eu’ heheh) e Carlos Plácido Teixeira apresentam no próximo dia 29 de agosto, no Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais, a palestra “O que vem por aí: novas mídias e métodos de identificação de tendências no jornalismo”. Destinadas a profissionais que buscam recursos de apoio à análise dos conteúdos disponibilizados nas novas mídias, as apresentações oferecem alternativas de utilização de aplicativos, ferramentas e novas mídias na produção de informações e identificação de tendências.

Vem, gente! :)

 

Aqui está o conteúdo da palestra

Como identificar tendências no jornalismo from Raquel Camargo

Convite: 2º Seminário de Redes Sociais e-Gov

Lei de Acesso à Informação, desenvolvimento tecnológico, transparência, cidadania, sociedade, governo… Tudo isso na prática e na internet se torna uma grande área de conhecimento.

Para explorar essa infinita fonte de discussão, acontecerá em Santa Catarina o 2º Seminário de Redes Sociais e-Gov para Administração Pública, promovido pela CETEM-SC.

Por lá, vou falar sobre o Movimento Minas e será possível discutir  novas ideias. O momento do evento vem muito a calhar, considerando todo o período delicado e inspirador que o Brasil está passando.

Fica aqui o convite para quem puder comparecer

Veja a programação completa.

Clique para ampliar

 

Teorias sobre a Twitteratura, hiperliteratura, citação e mídias sociais

Uma era depois de defender minha dissertação de mestrado, percebi que não havia compartilhado. Antes tarde do que nunca. Eis aqui o “trabalho que mais me deu trabalho” na vida, mas que me fez crescer demais também =)

 

“A metáfora usada por Compagnon (2007) no início do livro O Trabalho daCitação é a melhor forma encontrada para se concluir a reflexão proposta nesta pesquisa.Trata-sede uma metáforafeitasobreuma tesoura e uma cola e o ato de se recortar e fazermontagens, colagens, e o prazer que oautor encontrava, enquanto criança, no passear pela complexidade do papel e encaixes exemplifica o “criar textos”. Falando de “ablação”, Compagnon afirma que,ao citarmos, estamos mutilando, tirando as raízes. Ao discutir o “grifo”, o autor o compara àpreliminar de uma citação, e esta, por sua vez, seria uma espéciede lugar onde o texto se acomoda pela integração com outros textos. A escrita, enfim, ésempre uma reescrita.

A internet continua a transformar modos de produzir, receber e consumir qualquertipo de bem, de obra, de contexto. Seu poder de multiplicar, pulverizar e dar poder de falaravárias vozes transforma as criações (mesmo aquelas que já haviam sido criadas, pois agorapodem ser remixadas) e isso afeta a todos, inclusive, o conteúdo que preenche qualquer objeto.”

 

Espero que entendam, espero que ajude. Agradeço a todos pela ajuda

CITAÇÃO E ATRIBUIÇÃO DE AUTORIA NO TWITTER: UM ESTUDO COM BASE NA LITERATURA NO MICROBLOG by Raquel Camargo