Menina quer derrubar escola

Uma garotinha de 9 anos, que mora em Dublin, na Irlanda, liga para uma empresa de demolição e pede com a maior segurança que pode para destruirem sua escola.

Uma das prioridades para que a jovem “feche” o negócio com a empresa é a condição de fazer o serviço com os professores dentro do prédio, afinal, eles até passam dever de casa em plena sexta-feira.

Eu chorei de rir.

Para quem reclama da música brasileira

Djavu, Calypso, Pagode, Funk, etc. Tem tanta cria brasielria que irrita.. Mas bateu uma sensação de arrependimento de reclamar disso tudo quando vi o vídeo abaixo.

Garotinhos espertos a bailar, os do 9999-Gold são profissionais o suficiente para te chocar, um tipo de “Hansons maltratados”. Com a legenda feita pro vídeo, o lance fica ainda mais barango e maluco.

Enfim, um post mais avacalhadinho, já que andaram falando comigo que o blog anda muito “sério e cabeça”
heheh

Funk das internét

No fundo, a internet não tem nada de novo, só a repetição de fatos do mundo offline, porém de forma adaptada e muuuuito potencializada.

Músicas, num geral, sem limites de estilo e tal, falam de fatos cotidianos, sentimentos, acontecimentos e tal.

Não seria diferente no contexto online! Se o Orkut, o Twitter, o Facebook e os aplicativos estão na rotina das pessoas, nada mais natural que estes se tornarem também temas para músicas.

Aí veio o MC Kiko ano passado com o Funk do Twitter, depois o Hip Hop (que cita vários nomes daquele grupo e fez sucesso)…  Se não conhece ainda, se liga aê fiiii

E agora, já que a modinha é jogar Colheita Feliz, aquele jogo-aplicativo do Orkut, é claro que um novo funk apareceria.

Desculpa te fazer passar por isso, mas é tão tosco inusitado que merece sua atenção.

Se conseguir assitir e ouvir mais de 30 segundos deixe um comentário aqui pra eu te dar parabéns.

Encalhados no dia dos namorados

Dia dos namorados é sinistro, sempre. Por mais que você tenha alguém fofo e amoroso ao teu lado na data comercial especial, é fato que você não vai conseguir fazer muita coisa legal nessa data. É fila em tudo que é esquina: restaurante lotado, cinema, motel, e tal! O grande lance é deixar passar o fervor daqueles que fazem questão de ter uma super noite no 12 de junho, e comemorar com formas alternativas (que aí vai da criatividade e do nível de compreensão do/a companheiro/a, lógico).

Esse post é uma sacanagem, peço desculpas às mocinhas que estão debaixo do edredon com um pote de sorvete e se sentindo deprimidas nessa data por não terem um cara legal, mas não consegui aceitar a ideia de perder a péssima piada.

Olha o sujeito que está fazendo sucesso no Youtube ultimamente… Ele pode ser seu namorado virtual. É o Youtube desencalhando gente rs

Ok, se você conseguiu ver isso até o fim, certamente merece um jantar intimista com o rapaz, que está cheio de amor e boas intenções. Boa sorte…

Desculpaê, gente, não aguentei. Curtam vcs msmos, caso estejam sozinhos ; )

Os “instant´s” da vida

Inútil é, mas faz sucesso também. Está bem na moda a criação de sites um tanto quanto idiotas que são compostos por um simples “botão” ou imagem que, ao serem clicados, tocam um som ou frase.

É a tendência dos Intant’s.

Conheça os mais toscos intant´s:

Autora de “Bertulina”, Marli, faz escola

Dentro de todas as centenas de hits musicais que são paridos pela internet a cada ano,  acredito que uma grande personalidade brasileira está sendo ignorada dessa vez… Andressa Cotota é o novo mito.

Tudo indica que Andressa é “parente” de Marili, aquela grande cantora de vanguarda (como bem definiu o Kiko). É possível perceber que as gêneses dos arranjos e demais detalhes de produção são as mesmas. Talento.

Apresento a vocês, por fim, Cotoca. E para quem não conhece ainda a “pioneira”, mais abaixo um vídeo de Marli.

Se você não está satisfeito, olha bem o meu olho… Meu olho.

Enfim, BERTULINA.

Um jeito vergonhoso de morrer

Morrer por causa de coisas idiotas é vergonha para o resto de todas as gerações.
Pode parecer preconceituoso, mas eu “morreria” de vergonha se por acaso fosse dessa para melhor após ser atropelada por uma Brasília, por exemplo. Eu tenho antipatia desse carro, e partir por causa dele seria o fim (literalmente).

Abaixo, um vídeo com uma das formas mais vergonhasas de se morrer. Fail.